Igreja Presbiteriana Paulistana
  • A Famlia IPP
  • Spacer
  • Liderana
  • Spacer
  • Galeria
  • Spacer
  • Mensagens
  • Spacer
  • Contato

Mensagem: Segundo a Sua vontade

MP3 | Audio:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Pregador: Dr. Alderi Souza de Matos

Efésios 5.8-21 

Introdução

Os cristãos comprometidos têm o desejo de conhecer a vontade de Deus para suas vidas, principalmente diante de decisões e desafios difíceis… É algo importante ao se iniciar um novo ano.

Ensino de Efésios 5.17: “… não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor”.

Três aspectos da vontade de Deus (entre outras classificações):

1. O decreto de Deus

Os desígnios ou propósitos eternos de Deus, que se cumprem de modo inevitável. Áreas da criação, providência e redenção. Exemplos:

    • Apocalipse 4.11 – “Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, por causa da tua vontade vieram a existir e foram criadas” (24 anciãos).
    • Isaías 46.10s – “… que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade… Eu o disse, eu também o cumprirei; tomei este propósito, também o executarei”.
    • Efésios 1.3-5,9-11 – “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade… desvendando-nos o mistério da sua vontade, segundo o beneplácito que propusera em Cristo, de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu como as da terra; nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade”.

Essa vontade soberana independe de nós: nossa atitude diante dela só pode ser de reconhecimento, louvor, ação de graças.

2. A lei de Deus

Ao contrário da vontade decretiva de Deus, que se cumpre independente de nós, existe a sua vontade prescritiva, as normas e valores que ele estabeleceu para nossas vidas, e cujo cumprimento depende de nós.

Essas prescrições de Deus para a vida dos seus filhos, também parte de sua vontade revelada, são aquilo que constitui a lei de Deus (AT e NT).

Assim, a expressão comum “fazer a vontade de Deus” significa “obedecer” os seus preceitos. É o oposto de “fazer a vontade da carne e dos pensamentos” (Efésios 2.3). Esse é o sentido mais frequente em que a vontade de Deus é mencionada nas Escrituras.

    • Salmos 40.8 – “Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração está a tua lei”. Sl 143.10 – “Ensina-me a fazer a tua vontade, pois tu és o meu Deus”.
    • Mateus 6.10 – “Faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”.
    • Mateus 7.21 – “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”.
    • Mateus 21.31 – “Um homem tinha dois filhos. Chegando-se ao primeiro, disse: Filho, vai hoje trabalhar na vinha. Ele respondeu: Sim, senhor; porém não foi. Dirigindo-se ao segundo, disse-lhe a mesma coisa. Mas este respondeu: Não quero; depois, arrependido, foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?”

O exemplo de Jesus: “Porque qualquer que fizer a vontade de meu Pai celeste, esse é meu irmão, irmã e mãe” (Mateus 12.50). “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou” (João 6.38; também 4.34; 5.30; Lucas 22.42).

Ninguém precisa ter dúvidas quanto a esse aspecto da vontade de Deus, porque está claramente revelado em sua Palavra. Por exemplo: “Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição” (1 Tessalonicenses 4.3); “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco” (1 Tessalonicenses 5.18).

3. A direção de Deus

Sua orientação em diferentes situações de nossa vida, principalmente nas decisões que temos de tomar. “Eu sou o Senhor, o teu Deus, que te ensina o que é útil e te guia pelo caminho em que deves andar” (Isaías 48.17).

Não é algo mágico. Principal condição: amoldar-se à vontade de Deus no sentido anterior. Daí, Efésios 5.8-17.

Outros textos:

    • Romanos 1.10 – “… suplicando que, nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de visitar-vos”.
    • Romanos 12.2 – “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.
    • 1 João 5.14 – “E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve.”

Os instrumentos que Deus usa para que possamos discernir a sua vontade para o nosso dia-a-dia: Escritura, oração, pessoas, discernimento.

Conclusão

Os três aspectos da vontade de Deus:

    • quanto ao primeiro (decreto), louvor e gratidão
    • quanto ao segundo (preceitos), obediencia
    • quanto ao terceiro (direção), confiança

Discernindo a vontade do Senhor para nossas vidas e a vida de nossa igreja em 2012.